sexta-feira, 29 de abril de 2011

IRON MAIDEN – Show em Curitiba (05/04/2011)

Considerando que existem diversas resenhas sobre os recentes shows no Brasil dos britânicos do Iron Maiden em vários sites na internet, achei por bem utilizar este precioso espaço para relatar como foi a aventura de alguns bravos pontagrossenses guerreiros do metal que viajaram até a belíssima capital paranaense para assistir este que é, sem sombra de dúvida um dos maiores espetáculos da terra, que é a exibição ao vivo da “Donzela de Ferro”.
Tendo como ponto de partida o Pub Underground, tradicional ponto de encontro de roqueiros princesinos, partiu, por volta das 18:00 do dia 05/04/2011 a Van, na qual eu estive presente, juntamente com mais 14 jovens (que trabalharam o dia todo) de gosto musical requintado e dispostos a despender algumas centenas de reais e um pouco de seu valioso tempo para assistir ao Iron em Curitiba. Alguns já haviam os visto em outras oportunidades, como era o meu caso, entretanto, para alguns era a primeira vez que viam o Iron, ou até mesmo, a primeira vez em um show de proporções gigantescas como é o caso em tela.
Viagem tranqüila, sem atropelos. Saliente-se que a empresa Hass Excursões (www.hassexcursoes.com), responsável pelo nosso transporte, demonstrou um profissionalismo e organização dignas de nota.
Considerando que o tempo urgia contra nós, dirigimo-nos diretamente para o Expotrade Convention Center de Pinhais, em cujo estacionamento seria o show. Em lá chegando, só deu tempo de comprar umas camisetas e meu coração gelou quando comecei a ouvir a música Doctor Doctor, do UFO, que tradicionalmente antecede as apresentações da “Donzela de Ferro”. Para minha surpresa e alívio, a passagem pela catraca na entrada foi muito rápida, tanto que quando chegamos à frente do palco, nem havia iniciado o clipe de Satellite 15..., que culmina com o início dos acordes da explosão sonora que é a música de abertura, The Final Frontier.
Em seguida presenciamos uma apresentação impecável para delírio dos mais de onze mil presentes nesta que seria a última apresentação brasileira do Iron Maiden da tour. Com muita energia e empolgação, Bruce Dickinson (vocal), Steve Harris (baixo), Adrian Smith (guitarra), Dave Murray (guitarra), Janick Gers (guitarra) e Nicko McBrain (bateria) emendam a também recente El Dorado, para, conforme já esperado, visto que o set list já estava na ponta da língua, curtirmos o primeiro clássico da noite, que foi a 2 Minutes to Midnight, onde o Bruce começou com a frase que mais falou durante a noite: “Scream For Me Curitiba, Scream For Me Brazil!”. Seguiram-se músicas novas e antigas, cada qual com sua história, sempre demonstrando toda a técnica e profissionalismo dos britânicos. A agitação maior deu-se quando entoaram o verdadeiro hino The Trooper, com direito ao uniforme e bandeira da Inglaterra agitada vigorosamente pelo Bruce. O pano de fundo do palco mudava de acordo com a temática da música que era executada nesta que foi a quinta passagem do Iron por terras curitibanas. Três super petardos encerraram a primeira parte do show, que foram The Evil That Men Do, Fear Of The Dark e Iron Maiden, na qual surgiu o mascote Eddie, que está caracterizado como um ET, andou pelo palco, “brigou” com o Janick e no final empunhou uma guitarra, para delírio dos presentes. Seguiu-se um breve e já esperado tempo de aproximadamente cinco minutos até que pudemos ouvir a introdução falada de The Number Of The Beast, seguida de Hallowed Be Thy Name e por fim, o grandioso clássico Running Free, cantado em uníssono pela imensa e ensandecida platéia, inclusive por este que vos escreve.
Encerrados os trabalhos pertinentes ao show, nos restou o glorioso regresso, que ocorreu também sem qualquer atropelo, enaltecendo novamente a Hass Excursões que cumpriu rigorosamente com todos os compromissos com louvor. Na volta foi um silêncio só. Todos muito cansados e com a sensação de dever cumprido.
Apenas gostaria de deixar registrado que, por força do fato de que precisamos sair um tanto quanto em cima da hora em virtude de compromissos profissionais, não pudemos assistir ao show de abertura da paranaense e sobretudo competente banda Motorocker, que é composta por um pessoal muito gente fina e que fazem um rock and roll de altíssimo nível, tanto que foram escolhidos pelos próprios músicos do Iron para abrir o show. É isso aí, e que venham outros shows.

Um comentário:

Jefferson disse...

_\m/

Foi demais esse show!